sexta-feira, 10 de julho de 2009

Haja Falta de Assunto!

A mídia brasileira em geral anda pisando na bola na sua cobertura sobre a reunião do G8. Os caras conseguem transformar o encontro numa espécie de pornochancha social afirmando que uma ativista social carioca de 16 anos "estava à vontade ao lado do presidente Lula" e "Beleza à parte, ela é uma importante ativista social." Give me a break! Assista a matéria abaixo e tire suas próprias conclusões.

6 comentários:

Lafayette Hohagen disse...

É o padrão Globo de qualidade...

Isis disse...

http://www.cartamaior.com.br/templates/colunaMostrar.cfm?coluna_id=4375&boletim_id=564&componente_id=9660

Mojana disse...

Gente, todos nós que somos brasileiros já conhecemos bem o esquemão da Globo, mas, justiça seja feita, essa abordagem sobre a suposta olhadinha de Obama e Sarkozy para o traseiro da garota favelada não foi só da imprensa brasileira. Eu vi a mesma notícia na CBS pela internet e na CNN pela TV e a mesma história foi apresentada de forma muito mais irreverente - digo, escrachaça - do que na matéria da Globonews. Por sinal, muitos jornais norte-americanos aproveitaram para sacanear com a cara do Obama por conta dessa suposta olhadinha, chamando-a de "novo plano de incentivo".
Eu sei que as coisas funcionam melhor no 1º mundo, Kibe, mas cuidado pra não ficar como o Marquinho, um personagem humorístico dos anos 90 cujo bordão era "Ih, pai, os americanos são muito melhores!", mas que sempre acabava se ferrando, rsrsrsrs.
Mais uma coisa, imprensa fala merda em qualquer parte do mundo, hahahaha.

Marcio Macedo (Kibe) disse...

Hi Mojana,

Estou em Washington DC e sem acesso a TV, portanto, não vi que essa notícia tinha sido veiculada pela imprensa norte-americana também ou de primeira mão. Achei a cobertura ridícula do mesmo modo! Não quero cair num moralismo barato, mas essa é a mesma mídia que crucificou Bill Clinton nos anos 1990 com o caso Monica Lewinsky e a história do charuto.

Agora, dizer que eu tô americanizado já é lugar comum, viu?! Essa foi a acusação que mais ouvi durante minha estada no Brasil semanas atrás. Era só eu abrir a boca pra dizer algo e já vinha o bordão: "voltou americanizado hein Kibe?!" Tem coisas que os EUA são melhores sim, mas há outras em que a merda é bem pior do que no Brasil. Um deles é esse puritanismo que beira a hipocrisia, mas que mantem a sociedade funcionando nas bases do politicamente correto. Mas vira e mexe aparece umas coisas desse tipo... Vai entender!

Agora, o que dá pra criticar na imprensa brasileira é o lance de reproduzir acriticamente a mesma porcaria que é produzida na mídia americana o que demonstra nosso subalternismo.

Abraço,

Márcio/Kibe.

Lafayette Hohagen disse...

Sacanagem o que fizeram com o Obama.Acabo de assistir no Jornal da Band a imagem completa. Obama se vira para estender a mão para uma companheira que desce as escadas bem atrás dele. Quem fica "espiando"a jovem é Sarkozy. Imprensa mundial sacana!

Mojana disse...

Ora, Kibe, matérias desse tipo me parecem inteiramente coerentes com o estilo puritano e politicamente correto da sociedade norte-americana. Na época do escândalo Clinton-Lewinski surgiram duas ou três vozes críticas, mas, de forma geral, a opinião da imprensa e mesmo de parte signicativa do meio político criticou duramente a situação em que Clinton se meteu, não tanto pelo ato em si, mas pelo fato de ter negado sua relação com a mocinha no início do processo civil aberto contra ele.
Com relação ao Obama, me parece até que houve uma certa melhora na abordagem, já que veículos da grande imprensa como a CBS, a ABC e a CNN trataram o caso com irreverência mostrando sim a foto do jornalista da Reuters que clicou exatamente o momento em que Obama se vira para ajudar a mocinha atrás dele a descer um degrau - como o Lafayete explicou bem aí em cima - mas encerraram o assunto fazendo piada e "livrando a cara" do presidente. Como vc está sem TV, veja esse link pelo seu MacBook (só um detalhe, tem um comercialzinho no início): http://www.cbsnews.com/video/watch/?id=5149298n
Já falei antes mas vou falar de novo: você espera demais da imprensa, seja a brasileira, seja a norte-americana.