sábado, 25 de julho de 2009

Brooklyn (Preta) ou Stella Artois (Loira)?

Obama anda encrencado com as suas afirmações sobre o caso do professor Gates Jr.. Na quarta-feira, durante uma conferência com a imprensa, ao ser questionado sobre o ocorrido, o governante afirmou que o policial teria agido "estupidamente" ao prender o docente de Harvard. Nem preciso dizer que a afirmação do presidente inflamou ainda mais o que tem sido visto como a primeira racial issue desse governo.

http://assets.nydailynews.com/img/2009/07/24/alg_crowley.jpg
(Sargento James Crowley)

Para quem tem memória curta, lembrem que ainda na corrida pela nominação democrata a disputa presidencial Obama teve que se afastar do seu antigo pastor Jeremiah Wrigth devido as afirmações polêmicas do reverendo em relação ao tratamento dado pela sociedade americana aos negros. Wright, num vídeo gravado (assista aqui) em sua congregação em 2003, gritava do alto do seu púlpito: "Deus abençoe a América? Não, não, não... Deus amaldiçõe a América!"

Henry Louis Gates Jr. is an American literary critic, educator, writer, editor, and public intellectual. At Harvard University, where he teaches, he is Director of the W.E.B. Du Bois Institute for African and African American Research.
(Henry Louis Gates Jr.)

Pois bem, ontem à noite o presidente veio a público tentar fazer um meio de campo em relação à sua fala de quarta-feira. A atitude foi considerada a melhor saída para a polêmica depois que a fala do governante promoveu reações iradas em talk shows de rádio e uma resposta formal da polícia de Cambridge (MA) afirmando que o policial havia agido de forma adequada. Obama, em sua fala de ontem, disse que "poderia ter calibrado aquelas palavras de uma forma diferente" na quarta-feira e afirmou ter conversado tanto com o Sargento James Crowley como com o professor Gates Jr. via telefone e teria proposto uma cerveja entre os três a ser tomada na Casa Branca. Gates já teria aceitado enquanto o policial ainda não teria respondido a oferta. Caso o sargento aceite o convite, basta saber qual cerveja eles irão tomar: Brooklyn, preta, ou Stella Artois, loiríssima???

Assista abaixo ao último vídeo de Obama e para assistir todos os vídeos da polêmica clique aqui

9 comentários:

Vagner Gonçalves da Silva disse...

Oi Kibe,
Obrigado por ter reunido o material sobre o "estúpido" caso, nas justas porém arrependidas palavras obamianas. Como vc sabe, convivi até fevereiro passado por 7 meses no Du Bois Institute dirigido pelo Skip Gates (como carinhosamente ele é chamado). O que posso testemunhar é que Gates é uma das pessoas mais inteligentes e equilibradas que já conheci (além de ter uma simplicidade rara para um intelectual de Harvard). O Du Bois recebe gente preta, branca, desbotada como eu (filho de baiano com italiana), amarela etc... e o Gates faz questão que seja assim. Agora se isso ocorreu em Massachusetts, tido como um dos estados americanos mais liberais dos EUA, imagina o que nao acontece no "Deep US"?

debb disse...

Sabe o que eu acho desse caso Gates? Briga de egos. Para mim, os dois erraram. Errou o policial quando não acreditou que Gates morava ali e provavelmente forçou sua autoridade. E errou o professor, que não entendeu que era o trabalho do policial mesmo checar quem ele era e imediatamente se sentiu descriminado por cor. Penso ser bastante complicado este tipo de situação na America, porque basta um fagulha de qq coisa que possa ser associada a cor que a bomba boom! rs No fundo, estavam os dois erradas e, cada um com seu ego inflado, um de policial e autoridade, e outro de professor universitário pensando estar sendo discriminado, criaram polêmica e uma situação que não deveria mais acontecer, nem nos EUA. Se fosse Brasil, eu diria que essa cerveja a 3 iria sair, mas se tratando dos EUA... Bom, é torcer! =P

Raphael Neves disse...

Porra, eles tem que tomar uma Colt 45!

Raphael Neves disse...

Ah, Kibe, a Brooklyn não é preta, é lager. Isso prova que vc não entende nada de cerveja mesmo.

Cristiano Rodrigues disse...

Mr Kibe,

esse caso Skip Gates ainda vai render muito pano pra manga. ë óbvio que há sim o tal do perfil racial tanto aqui qto no Brasil e isso sempre vai ser um problema na abordagem policial a negros que não são pobres e que, algumas vezes, como no caso Gates tem imensa repercussão nacional. Mas, infelizmente, nós sabemos que no mundo das pessoas comuns atitudes policiais desrespeitosas acontecem a todo minuto, but who cares?
Bom, mas passei aqui tb pra te indicar a leitura desse post sobre dreadlocks, acho que tem bastante a ver com o quem vc tem falado aqui

http://blogs.vibe.com/humanitycritic/

abs
cris

ari disse...

Pelo perfil do policial e do professor, o que dá para sacar é que ambos bancaram os bestas. o schollar não devereria ter trazido à baila a questão racial, e o policial, depois de confirmada a identidade do dono da casa, deveria ter virado as costas e ido embora. Se diz que tragédia é quando dois pontos de vistas corretos estão em confronto. Mas e quando os dois estão errados? Vira comédia, às vezes. Não é o caso. Em qualquer situação de mudança, sempre tem gente esperando na encolha, louca para bradar que "não mudou nada". O que pode sair desse caso é uma mudança (que nos USA tem que ser estadual...) do que vem a ser "disorderly conduct". Gritar (sem ameaçar) com polícia na sua casa talvez seja um direito. Sendo assim, o caso envolve direitos de cidadania, e como tal afeta a vida de pessoas comuns, não apenas de schollars havardianos.

Anônimo disse...

Muito bom este título, muito bom mesmo.

Uma coisa que anda me intrigando é que forças conservadoras começam a usar um artifício usado nos princípios do governo Lula, primeiro mandato, estão se repetindo aí.

Intrigas por meio de mídias engajadas, pesquisas de rejeição, artigos submissos à direita westchester. especulo um próximo passo do uso de republicanos negros numa investida de oposição a obama para logo em seguida, aflorarem escandalos.

veremos.mantenha me informado, as normal.

abraço.

Leo Costa

Isadora disse...

Vc viu que rolou a cerveja? fiz um post sobre, hehehe:
http://ingredientedesviante.blogspot.com/2009/07/obama-denotando-felicidade-na-casa.html
te citei no post.
beijos!
isa

Marcio Macedo (Kibe) disse...

Pois é rapaziada,

A cerveja rolou mesmo! Obama foi de Bud Light, Gates de Samuel Addams e Crowley de Blue Moon e o Biden, bem, o Biden não bebe e tomou uma cerveja não alcoolica que nem vale a pena citar. Porra, ninguém pediu uma pretinha, hein?!...

Abraços,

Márcio/Kibe.