quinta-feira, 23 de julho de 2009

Big Boy!

Meu truta Raphael Neves postou recentemente em seu blog Politika etc um documentário encontrado na web sobre o sambista João Nogueira (1941-2000) e intitulado Carioca, Suburbano, Mulato e Malandro. O filme, muito legal diga-se de passagem, está dividido em duas partes e se passa, ao que se parece, no final dos anos 1970. Em determinada altura, Nogueira e Sérgio Cabral, uma das bíblias do samba carioca, estão conversando num boteco e começa a tocar uma música pop. Nogueira vira-se pro chegado e diz, "Ih, vamo embora que já começou a tocar essa merda!". Já dá pra perceber que o mulatão não era nada chegado num popzinho!

Assim como Rapha, também fuçando na web por esses dias acabei encontrando um documentário bem interessante sobre um dos responsáveis pela disseminação da "merda" pop no Rio de Janeiro. Seu nome? Newton Duarte ou, como era mais conhecido, DJ/locutor Big Boy (1943-1977).


(Big Boy, à direita, junto do DJ de black doidão Ademir Lemos [1946-1998])

Big Boy foi responsável nos anos sessenta por fazer a divulgação de boa parte do que significava música pop internacional numa época em que o vinilzão era o que ligava e ter acesso aos lançamentos que rolavam aqui nos EUA ou na Europa (na verdade muito mais EUA, já que o velho mundo era visto como "quadradão" a época!) era um verdadeiro Deus nos acuda! Duarte criou um estilo próprio de falar (cunhou a frase Hello Crazy People!) e apresentar seu programa na Rádio Mundial AM além de ter sido um dos organizadores do famoso Baile da Pesada (1970) que durante algum tempo lotou as noites do Canecão... Ok, mas pra saber mais assista o documentário elaborado como trabalho de conclusão de curso por uma galera universitária do Rio de Janeiro. Depois dou os créditos, já que a preguiça é enorme por aqui nesse momento.



E agora assista a segunda parte....



Muita Paz!

6 comentários:

ari disse...

Europa quadrada...em 1970? De onde vc tirou isso? Não é coisa da época... Deve ser alguma falsa memória (não sua, claro), pois desde os tais de Beatles & Rolling Stones e outros mais (além da Swining London), o pop é em grande parte europeu. Ou pelo menos, inglês.

Raphael Neves disse...

Cara, bem legal o documentário. O Big Boy era do barulho mesmo. Alguém menciona que era algo de Zona Sul carioca (ou seja, dos que tem $$$). Mas na parte dos bailes aparece o clube de Irajá, que é da Zona Norte. Acho que a coisa era geral.

Enfim, Kibão, ainda sou mais o samba. O meninão parece meio deslumbrado com o que vinha sendo produzido no exterior... Mas tá valendo. Cada um com sua música.

Abração,
Rapha

Marcio Macedo (Kibe) disse...

Prezado Ari,
Pois é, cometi esse sacrilégio de qualificar como Europa tudo que estava na parte continental e esqueci da Dona Inglaterra. Concordo com você, parte do pop é inglês!
Abraço,
Márcio/Kibe.

Marcio Macedo (Kibe) disse...

Rapha,
Você é um grande nacionalista morando em NYC e vivendo a experiência do exílio! Isso não é um ofensa... Vamos lá comer no restaurante brasileiro já que em matéria de comida/samba/novela ninguém supera o Brasilsilsil!!!
Abraço,
Márcio/Kibe.

sabidona disse...

Estava fazendo uma pesquisa sobre o Big Boy, para mostrar como a música era divulgada, sem a internet, e cheguei no seu blog. Lembrei q meu pai é seu fa!
Agoar virei tbm!
Valeu!
Ah, meu pai é o Lafa

Marcio Macedo (Kibe) disse...

Hey Sabidona,

Obrigado pela visita! Seu pai é uma figura, ano retrasado tomei um café com ele e ficamos conversando por oras a fio na Vila Madalena.

Um abraço e seja sem bem-vinda!

Márcio/Kibe.