sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Companheira/Irmã de C... é R...

Novembro de 1970, área central de São Paulo.

http://www.whoartnow.co.uk/images/soul-sister-pop-art.jpg

Juca deu um gole na cerveja e já meio alto, efeito da mistura de várias loiras geladas com uns quebra gelos, sentiu seu coração bater mais rápido. No meio da multidão de gente que passava pelo calçadão da rua 7 de Abril avistou uma negra alta na casa dos 20 e alguma coisa vindo em sua direção com um sorriso. Sacolas de compras nas mãos, um calça boca de sino apertada marcando o traseiro volumoso, salto alto e o cabelo crespo alisado com Hené Maru. A nega era grande...

A mesa, cheia de amigos, parou a conversa esperando a beldade de ébano passar. Copos americanos cheios de Maria Mole e breja ficaram suspensos no meio do caminho entre a mesa e a boca. Alguns trutas já preparavam um assobio malicioso, caras, bocas e algum comentário safado. A nega era grande... Até São Benedito, se estivesse na mesa, ia dar uma olhadinha rápida na preta que caminhava com garra e energia. Era como se a patrícia, por alguma peça pregada pela divina providência ou graça da física, andasse em câmera lenta e cada passo seu era acompanhado em detalhes por rapazes que tinham pouco dinheiro, mas virilidade pra dar e vender.

Toc, toc, toc... Ouvia-se até mesmo o som do salto da nega castigando o chão. A nega era grande e pisava com força, andando com elegância e domínio da arte. Andar de salto alto não é pra qualquer uma e existe até mesmo uma hierarquia. Há aquelas que tentam, mas não sabem fazê-lo, de modo que o perigo de se machucar é grande. Depois vem aquelas que andam corretamente, mas sem nenhum charme: são burocráticas. Mas existe a classe superior daquelas que, além de usar salto alto, pisam com força, elegância e de forma sexy, essas andam de salto por prazer. Vixe Maria!... A nega que vinha na direção da mesa fazia parte dessa última categoria e devia ter treinado bastante o seu andar quando ainda menina, roubando os saltos da mãe para desfilar em frente ao espelho.

O assobio de um maluco engasgou... Um copo de Maria Mole caiu no chão... Outro vagabundo desviou o olhar enquanto um quarto saiu de fininho dizendo que ia no banheiro. "Aí rapaziada, essa é a Marli minha companheira!", disse Juca após meter um beijo no beiço da pretona e agarrar o corpo volumoso e macio num abraço de urso. Toda a mesa ficou sem graça, sorrisos amarelos surgiram no rosto dos vagabundos que se corroíam de inveja do mulherão e/ou raiva pelo vexame. "Prazer hein, irmã Marli. Nem sabia que o companheiro Juca tinha se casado". "Casamo naquela né companheiro, tâmo morando junto lá numa casinha germinada na Casa Verde, manja?", disse o Juca. Marli deu um sorriso sem graça pra todo mundo, "Filho da puta, nem contou pros amigos do partido que tinha juntado os trapos!", pensou. "Minha companheira é mó firmeza, óh!" afirmava Juca todo orgulhoso enquanto Marli olhava para todos meio desconcertada.

"O Marli, diz aí irmã, o que você acha dessa parada das mulheres pretas alisarem o cabelo, hein?... Alienação, né?", perguntou um dos trutas. Marli ficou sem graça, sentiu a cabeça fritar. "Mas o irmã, que escola de samba você frequenta?", "Irmã, você é filiada a algum partido?", "Irmã, o que você acha da ditadura?", "Irmã, mas o samba é alienado, né? Os caras só falam de mulher e tal. A MPB é o que liga, Geraldo Vandré é o cara?" "Irmã...?" "Irmã...?" "Irmã...?" "É irmã, a situação do Brasil tá foda!"

Depois de muitas irmãs e companheiras..."Aí rapaziada, eu e a minha companheira vamo saí fora. O último busão pra Casa Verde passa daqui a quinze minutos e a gente tem que acordar cedo amanhã. Tenho uma plenária do coletivo às 9:00, tá ligado?"... "Firmeza Juca, vai lá companheiro!" "Tchau irmã Marli!"

Marli e Juca fizeram todo o trajeto do centro até a Casa Verde sentados um ao lado do outro no ônibus e quietos. O negão, meio chumbado de álcool, não deu muita atenção pra esse fato, pois só imaginava a gostosa noite de amor que iria ter. "Essa noite vai ser literalmente FODA!", pensava enquanto olhava para Marli abrindo um sorriso e dava beijoquinhas no beiço da pretona que, a essa altura do campeonato, já tinha perdido toda a cor vermelha do batom Avon na camisa branca do companheiro.

Casa Verde, quebrada doce quebrada! Ao chegar na casinha germinada Juca jogou as sacolas de compras no chão e deu um tapão no traseiro de Marli que continuava quieta. O pretão era só sorrisos... Meteu um disco do Marvin Gaye na vitrola velha e uma melodia soul invadiu o ambiente... "...I am really trying, baby... Lets get it on...". Marli foi tomar um banho. Juca abriu a geladeira e achou uma garrafa de vinho tinto Chapinha pela metade. Dividiu o conteúdo da garrafa em dois copos e ficou esperando sua companheira sair do banheiro. O pretão gringo na vitrola já ia para quarta faixa quando Marli saiu do banheiro toda perfumada vestindo um baby doll branco e curtinho da DeMillus que ainda estava pagando, pegou um copo de água na geladeira e foi pra cama. Juca olhou a cena e não entendeu nada, mas tirou a roupa e foi só de samba-canção pra cama levando os copos de vinho. Sentou na beira do colchão de casal recém comprado e ofereceu um dos copos para Marli. "Quero não, não bebo!" disse ela. "Não bebe, como num bebe? A gente tava bebendo até agora pouco no centro, preta?!" "Não bebo amor sou IRMÃ, esqueceu?!" "Irmã? Que história é essa, Marli?"... "Sou IRMÃ, meu amor. Não bebo e não trepo antes do casamento!", disse Marli rolando pro outro lado da cama. Juca fez cara de espantado, mas antes que pudesse formular uma resposta levou outro baque... "Outra coisa, COMPANHEIRA é a PUTA QUE TE PARIU", gritou Marli ficando de pé em cima da cama, "Eu sou a sua MULHER, ESPOSA, PRETA, NEGA ou MINA, mas nenhuma dessas VAGABUNDAS vai dar pra você essa noite... Ah, e avisa pra aqueles FILHOS DA PUTA dos seus amigos chatos do partido que a IRMÃ aqui vai continuar alisando o cabelo e indo no samba de alienado, viu?"

12 comentários:

Flavius2net disse...

O que é isso? o que vc anda escrevendo? Muito Bom. E o Juca ficou na mão.
Eu já imaginei aquela tradicional mesa da sete de abril, discussões sobre movimento negro, mulher, escola de samba, mundo universitário e...mulher.Eu conheço bem essa experiência do Juca.

Marcio Macedo (Kibe) disse...

Fala Jay-Z,

Queria escrever algo sobre essa mania que alguns caras tem de chamar as negas de "companheiras" e "irmãs". Acho tão feio... Mas como sempre, o texto saiu na viagem da madrugada. Cê tem razão, essa tá bem sintonizada com as muitas palhaçadas que já rolaram no centro de SP. Sinto saudades, aqui em NYC não tem 7 de Abril... Por fim, o Juca se fodeu, ou melhor, não fodeu! ...hahahahaha...

Abraço,

Márcio/Kibe.

biane disse...

Hahahaha! Adorei!

Uns anos atrás conheci uma mina que também tinha essa mania de chamar as outras negrinhas de irmã... Ficava furiosa com isso! Como ela era uma pessoa muito, muito "popular" (efusiva, como diria minha amiga Mônica... rrsss), certo dia perguntei se me chamava de irmã por não saber meu nome... rsrsrs... De fato!... A mina ficou bege e se justificou dizendo que éramos irmãs de cor... Como bem disse vc no título do texto: "irmã de c... De irmãos já me bastam os meus sete de sangue (os que eu, por enquanto, tomei conhecimento, obviamente!... rssrs)

Jaqueline disse...

risos**********

ALoKa disse...

Hahaahahaha sensacional. É bom ver os pretos tipo "pipoca" tomarem olé, mesmo quando é na ficção. Na vida real, tive o desprazer de conhecer e conviver com comédias desse naipe. Nada é perfeito, né? Ces´t la vie.

Pergunte que a XANA Responde. disse...

Ai. e eu sou irmã SIM da mesma perereca que não forneceu pro Juca!!! kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Adorei. Só faltava o Juca ser do Núcleo Cultural Força Ativa pra completar o quadro típico de exemplo macho"cado" que existe nos grupos que se dizem políticos da cidade.
Parabéns, totalmente Hors concours.
heheheheh

Cris Santana disse...

realmente a nega é grande, viu?!?
gostei, kibe...
em tempo, posso indicar a leitura para uns irmãos?!? rs...rs...rs...

Marcio Macedo (Kibe) disse...

Queridas,

Fico extremamente lisonjeado que cinco mulheres tenham comentado meu texto. Pelo visto, há muitos Jucas e amigos de Jucas por aí, não???? :)

Mais episódios do casal Juca Ativista e Marli,"a nega grande", poderão aparecer por aqui...

Beijo grande para Biane, Jac, Xaninha, ALoka e Cris! Sejam sempre bem-vindas no NewYorKibe...

Márcio/Kibe.

biane disse...

Ei, Kibe, essa coisa de "traseiro" tá muito norte-americana, hein!... rsrsr... Os manos da sete de abril, mesmo os dos anos 70, eu acho que falariam uma grande bunda mesmo... rsrsr

Marcio Macedo (Kibe) disse...

Hey Biane,

Minha estada aqui na América Deles tá me deixando puritano, acho que estou perdendo o meu lado católico/sacana/vagabundo/macumbeiro/maloqueiro trocando a Pirassununga 51 pelo Jack Daniels!

Em tempo, dá pra mudar "traseiro" por bunda!

Beijos,

Márcio/Kibe.

Mila Felix disse...

Marli são grandes mesmo . . . Tenho 1 casa ! "Companheira/Irmã de C... é R... Te conheço como quem?!" . . . bem desse jeito. rs*

Daniela Gomes disse...

Nossa, eu ainda não existia nessa época,mas fiquei aqui imaginando a nega andando na 7 de abril. Se é real a história ou não, eu não faço ideia, mas que ficou muito boa ficou.
Bjoks