domingo, 28 de setembro de 2008

And the winner is...

O título da matéria do New York Times para esse momento pós debate é esclarecedor: "The next day, a new debate on who won". Na verdade, as notícias que minha amiga Raquel citou ter visto veiculadas na mídia brasileira dizem respeito a percepcões e tentativas de ambas as campanhas de utilizar politicamente pequenos detalhes ou possíveis gafes em favor de si. Em outras palavras, os caras estão buscando pelo em casca de ovo para contar vantagem a seu favor.

Nessa lógica, a equipe do candidato democrata passou a madrugada posterior ao debate preparando um comercial que foi ao ar já na manhã de sábado mostrando que MacCain não utilizou os termos "middle class" e "working class" nem uma vez no debate e tentando enquadrá-lo como um candidato elitista e conservador. A campanha de Obama também acusou MacCain de faltar com o respeito em relação ao seu oponente ao não olhá-lo diretamente durante o evento.

A equipe de MacCain, por sua vez, afirma que o candidato republicano foi melhor ao evidenciar a falta de experiência de Obama. Isso teria se confirmado quando, no decorrer do debate, MacCain afirmou, mais de uma vez, que Obama "não entendia" questões internacionais ou que interpretava equivocadamente conceitos relativos a guerra do Iraque. Outro ponto levantado pelos acessores do candidato republicano - e que foi mote de comerciais veiculados posteriormente - diz respeito ao fato de Obama ter declarado concordância com alguns pontos de vista de MacCain.

Enfim, o que as campanhas estão tentando fazer agora é utilizar ao máximo essas estratégias de convencimento do eleitor de que seu candidato se deu melhor. A crença generalizada é de que, como afirma o texto do NYT, boa parte dos eleitores irão moldar sua opinião/decisão de quem realmente venceu o debate não a partir do que eles viram na TV sexta à noite, mas sim partindo daquilo que eles leram nos jornais e assistiram nos telejornais e comerciais de campanha de sábado em diante.

Na CNN havia uma certa percepção dos analistas políticos de que Obama havia se saído melhor no confronto. Essa TV chegou a até mesmo organizar grupos focais para discutir o debate. Na minha opinião - muito enviezada - Obama foi o vencedor. Porém, o havaiano multicultural e racial não se mostrou tão convincente e teve um pouco de dificuldade de "bater" no herói de guerra republicano (o velhinho é duro na queda mesmo, não é à toa que aguentou cinco anos de torturas no Vietnã). Mas ao mesmo tempo, penso que é um traço da personalidade de Obama não ser tão duro e ter dificuldades de atacar adversários nesses confrntos cara a cara (a Hillary se sai melhor nisso).

Mesmo assim, MacCain muitas vezes pareceu acuado e não convenceu ao tentar mostrar independência e se distanciar do fantasma de Bush, algo que favoreceu a estratégia do partido democrata de apresentá-lo como um continuaçao da "maldita" administração atual e hiper conservador. O velhinho também queimou um pouco o seu filme ao sugerir na quinta-feira um adiamento do debate devido as discussões que estavam sendo feitas em DC para a aprovação do plano de recuperação econômica ("bailout financial") e das quais ambos, ele e Obama, tomavam parte. Ele só confirmou participação no evento na sexta de manhã e após comentário do adversário afirmando que um "presidente deveria estar preparado para lidar com mais de uma questão ao mesmo tempo". Obama, tendo ou não experiência, é bom com as palavras. Se ele fosse mais irônico, poderia aceitar o adiamento perguntando se MacCain estaria cansado...*rs*

3 comentários:

raquel disse...

Olá Kibe, que bom ter essa visão mais de perto do ambiente em que acontecem os fatos.
Puxa... sua leitura fez-me pensar algo que ainda não tinha percebido em OBAMA, ele é sensivel, um Denzel Washington.
Vou mudar o lugar do meu titulo de eleitora ja!!!

Ari disse...

percepcões? What the hell that word means?

Kibe disse...

Ei Ari, voce daria um otimo revisor... Tenho do dos seus futuros orientandos... *rs* A proposito, o debate dos candidatos a vice presidencia foi mais divertido do que os candidatos a presidencia. Assisti na biblioteca da NYU e dei muita risada com os comentarios do povo. By the way, quando vier para ca, Ari, quero te levar la: 11 andares e dois subsolos com varios espacos para estudar e que funciona 24 horas os 7 dias da semana. Duca!