domingo, 19 de outubro de 2008

"Go Obama" by Colin Powell

6 comentários:

Kibe disse...

Hey Folks,

Como voces veem, as coisas estao ficando cada vez piores para o veterano de guerra. O posicionamento de Powell, pelo que li no NYT, revela a quebra do partido em duas alas: pragmaticos (do qual o ex-secretario faz parte) e neo-conservadores. Esse ultimo grupo tem dominado o cenario republicano na era Bush e, recentemente, algumas figuras tem se aproximado mais e mais de McCain.

Ao mesmo tempo, a maneira como a equipe de McCain tem conduzido a campanha nas ultimas semanas tem desagradado muitas pessoas. Sara Palin acusou Obama de ter lacos com um ex-terrorista e certos tracos de tensao racial tambem tem vindo a tona principalmente de pessoas mais idosas que tem um background ainda muito marcado por um periodo pre anos 60.

A entrevista de Powell e bastante acida, ja que ele critica abertamente o Partido Republicano e, ao final, declara apoio a Obama. Assistam a entrevista e percebam o que fala sobre o lance da tentativa de alguns republicanos de associar Obama com o islamismo.

Algo que e bem interessante aqui nos EUA e que as personalidades e meios de comunicacao nao tem muito problema ou timidez em demonstrar apoio aos candidatos. Como previ ha dois meses atras, as revistas voltadas para o segmento afro-americano estao endorsando a campanha de Obama. O negrao e capa da Vibe, The Source e ate da Rolling Stone (que nao e necessariamente para esse segmento do mercado). O jornal Daily News tambem endorsou sua campanha e agora a pouco, ao assistir o programa Fareed Zakaria GPS na CNN, um talk show de economia e politica internacional, o apresentador declarou ao final que votara em Obama.

Agora, deixe-me contar a respeito da minha "Obama T-shirt". Comprei uma camiseta preta com os dizeres "Barack Obama 2008" estampados em branco. No caminho da minha casa no Harlem ate a biblioteca onde estudo na Washington Square observei sorrisos e olhares de cumplicidade principalmente de negro(a)s no metro e nas ruas. Contudo, nao estava me tocando do que estava rolando, pois estava ouvindo musica no meu Ipod e pensando em outras coisas (meu maldito paper do Marx e as leituras que nao dei conta). Porem, na esquina da 14 Street com a University Place, alguns quarteiroes proximos da NYU, um brother levantou o braco e com o punho cerrado disse bem de frente para mim: "Yeah, Obama!". Ai a ficha caiu...

Incrivel como essa campanha tem renovado os lacos de solidariedade entre a comunidade afro-americano, criado pontes entre os mais diversos grupos raciais (e possivel ver brancos, negros, asiaticos e latinos no metro usando broches da campanha Obama/Bide), estimulado o interesse dos jovens por politica e criado uma atmosfera que eu acho que nao se sentia por aqui desde os anos 60. Tudo bem, alguns dirao que NYC e diferente e mais progressista do que outros lugares dos EUA. Concordo, mas isso nao anula o argumento ja que as pesquisas mostram que o negrao de Harvard esta efetivamente conseguindo levar sua campanha para alem das barreiras raciais dos grupos.

Vamos ver, faltam 16 dias para November 4!

Nao sei se isso faz muita diferenca, mas esse blog tambem apoia a campanha de Obama e da Marta, mesmo eu nao podendo votar em nenhum dos dois lugares! *rs*

raquel disse...

Oi Kibe, adorei...
Oh.. só falei com um amigo african-american que vive no Missouri e que estudou comigo na Howard e ele mencionou o entusiasmo dele e dos meios em que vive e tem contato com relação a Obama.
É tudo muito interessante, até porque me parece não fazer sentido uma nação tão global e multicultural como a americana fazer uma opção tão dentro de padrões desatualizados, até mesmo em relação ao "american way of life"
Se entendi o ingles de Colin Powell o momento agora pede um plano de governo mais concernente com o mundo atual.
P.S: voce misturou inglês com português quando escreveu a palavra "endorsou"? Não é endossou, quando a gente reforça?
bjs

Mojana disse...

Mal chegou aos EUA e já tá dando uma de Mangabeira Unger?

Kibe disse...

Hey Garotas,
Voces tem que dar um desconto pro negrao aqui! Escrevo os "posts" e "comments" de supetao, sem tempo para revisoes.

Pergunta: Colin Powell seria negrao no Brasil? Sem as patentes de general e o status de ex-secretario de estado eu acho que sim, mas com essas "qualificacoezinhas" duvido muito. Embranquecimento social, "things made in Brazil zil zil"! *rs*

Mojana disse...

Esquenta não, Kibe. Implicância faz parte da amizade, rsrsrsrsrs.
Aliás, estou com saudades de você, sabia? Agora que a Marta tá apanhando que nem pandeiro na eleição, pelo menos a gente poderia comemorar o retorno do Corinthians pra série A, rsrsrsrs.
Quanto ao Colin Powell, é aquele negócio, se até o Neguinho da Beija Flor já tá clareando, imagina ele, né? Beijins.

Raquel disse...

E aí kibe!!!??? esquece, como disse a Mojana" "implicancia faz parte da amizade""

Ah que felicidade, o Corinthians de volta a serie A.

O ultimo debate da Marta e Kassab foi excelente e ela deu mostra da envergadura e do potencial dela como prefeita para a maior cidade da america latina.
Nas listas que frequento existem pessoas que estão se mobilizando contra o Kassab.
Denunciam que há perseguição da direita.
É o mundo, a "força da grana que ergue e destroi coisas belas"
Um sujeito que sai do anonimato e vira prefeito de SP é um pouco demais... Uma pessoa que sai do povo teria outro nivel de dificuldade, bem como uma pessoa negra. Não é justo isso!!!

Na minha percepção o Powel é negro mesmo no Brasil e com as patentes.